Habilidades dos executivos do futuro | Mariana Amaro, da VOCÊ S/A

0 Flares 0 Flares ×

presidente

 

O caminho para o topo

Pode parecer um exercício inútil fazer planos de carreira em meio à incerteza da economia, quando tudo parece pouco sólido. Mas um profissional não deve descuidar de suas ambições futuras por causa do cenário atual.

Todo mundo deve fazer como as empresas, que usam sua visão de longo prazo como um caminho a ser seguido e fazem ajustes durante o percurso. Para quem projeta ascensão profissional, isso significa olhar quais serão as competências mais importantes para alcançar o topo e desenvolvê-las com o tempo.

Um estudo da CTPartners, empresa de recrutamento executivo, feito com companhias de 24 países, inclusive o Brasil, mostra quais serão as habilidades mais importantes dos líderes em 2020. Trata-se de um prazo bom, não muito distante e improvável, nem tão próximo a ponto de ser inviá­vel. VOCÊ  S/A ouviu sete executivos brasileiros que ocupam hoje os principais cargos de sua empresa, e são eles que contam o que fazer para chegar lá.

Uma coisa é certa: o desafio é grande e é preciso estar em constante aprimoramento. O que antes levava 20 anos para mudar agora leva dois. “Os executivos fazem parte desse cenário e precisam evoluir com ele”, diz Sergio Rial, presidente do conselho do Santander, de São Paulo.

O principal desafio do profissional brasileiro é se inserir mais nos negócios globais. “O executivo nacional precisa se esforçar para atingir esse padrão internacional”, diz Magui Castro, sócia da CTPartners, de São Paulo.
Presidente: um bom ouvinte

O presidente do futuro é um excelente comunicador e ouvinte. Sua liderança será baseada em conhecimento, intuição e conselhos de colegas. O resultado será um líder que transmite propósito e humildade.

TRÊS COISAS QUE ELE PRECISARÁ FAZER MAIS

1. Ser um cidadão global, transitar entre diversas culturas e cenários econômicos e adaptar-se a eles, calculando riscos, abraçando mudanças e questionando os modelos de negócios atuais.

2. Agir como um embaixador da companhia, sendo acessível e visível aos funcionários e personificando os valores e as qualidades da empresa e de seus produtos para os clientes.

3. Saber atrair, engajar e inspirar profissionais jovens.

O PRIMEIRO PASSO PARA CHEGAR LÁ

Aprender a ter paciência e humildade para escutar todos os lados, mesmo que discorde deles. “Esse é um modelo mental que precisa ser treinado desde cedo”, diz Magui Castro.

LIÇÃO DE QUEM CHEGOU LÁ

“Além de todas as características que um líder de hoje já precisa ter, o presidente do futuro será avaliado por sua habilidade de se transformar e levar a empresa nesse caminho da mudança. A única certeza que temos é que, daqui a dez anos, o principal produto — ou serviço — das empresas não será o mesmo que é hoje.”

Sergio Quiroga, 47 anos, presidente da Ericsson para América Latina e Caribe


0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 LinkedIn 0 0 Flares ×